Notícias

Estou no momento em: Skip Navigation LinksInício > Índice de Notícias > Notícia

Conheça as novas regras de financiamento habitacional da CDHU

02/03/2020

Apresentação

Aqui você encontrará informações sobre as novas regras de financiamento habitacional adotadas pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) para a oferta da casa própria.  A principal mudança diz respeito à isenção da taxa de juros nos novos financiamentos concedidos pela CDHU.  Confira a seguir os detalhes dessa nova política de atendimento habitacional. 

Quem tem direito a juros zero na aquisição da casa própria?

A taxa de juros zero aplica-se a contratos de financiamento habitacional da CDHU assinados a partir de 2 de março de 2020 para famílias com renda mensal de até 5 Salários Mínimos (SM), devidamente inscritas, selecionadas e que comprovaram atendimento aos critérios da Política Habitacional do Estado. Acompanhe pelo site www.cdhu.sp.gov.br os locais onde há inscrições abertas. Anteriormente, a taxa de juros praticada pela companhia chegava a 7% por ano.  

A isenção de juros vale também para quem já é mutuário da CDHU?

Não. Essa nova regra só vale para os novos contratos de financiamento da CDHU, assinados a partir de 2 de março de 2020. Os contratos anteriores a essa data seguirão a taxa de juros que consta do financiamento assumido pelo mutuário.

Qual será o comprometimento de renda para pagamento das parcelas mensais?

Agora a CDHU fixou em 20% o percentual de comprometimento da renda familiar para pagamento das prestações do início ao fim do contrato de financiamento. Nos contratos anteriores, o comprometimento varia de 15% a 30% da renda familiar.

Quais os benefícios para o futuro mutuário com essas novas regras? 

Com os juros zero e a fixação de 20% como limite de comprometimento de renda, o valor da prestação mensal praticamente permanecerá mesma ao longo de todo o contrato de financiamento, acrescido apenas da correção monetária anual. Por exemplo, mutuário com 2 renda familiar de 1 Salário Mínimo pagaria pelas novas regras uma prestação mensal de R$ 199,60 ao longo de 30 anos de contrato. Na nova forma, o mutuário poderá fazer um planejamento de suas finanças, com total previsibilidade, pois desde o princípio saberá que o valor de sua prestação terá um comportamento constante durante o prazo contratual.

Como será a correção das mensalidades e saldo devedor?

Todos os novos financiamentos concedidos pela CDHU terão como base para correção monetária das mensalidades e saldo devedor o índice IPCA-IBGE em substituição ao IPCFIPE, usado até então. 

 Qual é o motivo da troca do índice de correção?

 O índice de correção IPC-FIPE, que não será mais utilizado pela CDHU, considera apenas a variação de preços no município de São Paulo. Já índice IPCA-IBGE, adotado agora pela CDHU, é mais abrangente, pois mede a variação dos preços no Brasil, sendo também utilizado para o monitoramento da meta de inflação. Essa mudança permite que o financiamento habitacional da CDHU fique mais alinhado com a situação econômica do país.

 Quem ganha acima de 5 salários mínimos será afetado pelas novas regras?

 Famílias com renda entre 5 e 10 Salários Mínimos serão redirecionadas para obtenção do financiamento habitacional em instituições do mercado imobiliário. O objetivo das novas regras adotadas pela CDHU é priorizar o atendimento a quem mais precisa e também proporcionar oportunidade para aqueles que ainda não têm condições necessárias para obter o financiamento no mercado.

 Toda as informações sobre as novas regras de financiamento da CDHU podem ser esclarecidas também pelo Alô CDHU no telefone 0800 000 2348

Secretaria da Habitação
Rua Boa Vista, 170 - 10º, 12º, 14º ao 16º andares - São Paulo - SP - CEP: 01014-930 - Tel: (11) 3638-5100
Horário de Atendimento: das 9 às 18 horas