Notícias

estou no momento em: Skip Navigation LinksInício > Notícias, Artigos, Clipping e Newsletters > Visualizador de Notícias

01/05/2013 | Parceria entre Casa Paulista e Movimento Habitacional e Ação Social viabiliza a construção de 192 moradias na Capital

A Casa Paulista vai repassar aporte de R$ 20 mil por unidade para ajudar na construção de um conjunto que será edificado pelo Governo Federal, no Jardim Ângela.

O secretário do Estado da Habitação, Silvio Torres, assinou na terça-feira, dia 30, autorizo de aporte por meio da Casa Paulista - agência de fomento habitacional criada pelo governador Alckmin para ampliar a participação da iniciativa privada e agentes públicos na produção de imóveis para população de baixa renda -, para a contratação de 192 moradias no Conjunto Habitacional Santa Sofia II, no bairro Jardim Ângela, na capital paulista. O acordo foi selado com a presidente do Movimento Habitacional e Ação Social (MOHAS), Vani Poletti, e a gerente regional da Caixa Econômica Federal de Santo Amaro, Elisa Masaki.

 O empreendimento será edificado pelo Governo Federal por intermédio do Programa Minha Casa Minha Vida - Entidades e parceria com o MOHAS. A Secretaria Estadual da Habitação, por meio da Casa Paulista, repassará R$ 3,8 milhões, a fundo perdido, para a implantação de melhorias construtivas nas unidades habitacionais. “O governo de São Paulo está priorizando as famílias que vivem em áreas de risco e também as que têm renda mensal de até três salários mínimos; e esse movimento está inserido nesse contexto”, frisou o secretário. Segundo ele, o objetivo da parceria é tornar a moradia acessível às famílias que organizam seu pleito em cooperativas habitacionais, associações e demais entidades privadas sem fins lucrativos.

A parceria selada com a Casa Paulista e MOHAS faz parte do acordo firmado em janeiro de 2012 entre o Governo de São Paulo e o Governo Federal, para a produção de 100 mil moradias no Estado. Do total, 10 mil serão edificadas em parceria com entidades e associações e quatro mil serão viabilizadas em áreas rurais. As moradias são para famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00

A presidente do MOHAS disse que a parceria com a Casa Paulista é fundamental porque, além de ajudar a viabilizar as moradias na capital paulista, onde o teto construtivo é muito elevado, vai melhorar a qualidade dos conjuntos que são entregues pela Caixa.  “Essa parceria melhora a qualidade das unidades e ajuda as famílias de baixa renda a terem uma moradia mais digna”, completou.

O acordo selado em janeiro de 2012 com os governos estadual e federal, estipula que as novas unidades deverão respeitar e incorporar as melhorias estabelecidas como parâmetro de qualidade da Secretaria de Estado da Habitação. A área mínima será de 43 m2; pé direito mais alto (2,60 metros) para melhorar a ventilação e iluminação naturais; acessibilidade para movimentação de cadeirantes na cozinha e banheiro; laje e esquadrias de alumínio e itens de sustentabilidade, como lâmpadas fluorescentes, descarga seletiva nos banheiros e sensores de presença nas áreas externas.

O próximo passo, segundo Vani, será a aprovação do projeto construtivo pela Prefeitura de São Paulo. A demanda dos futuros moradores será apresentada pelo MOHAS, que já tem as famílias cadastradas para os novos apartamentos. As famílias contempladas pagarão pelo imóvel 120 prestações mensais, limitadas a 10% do rendimento. O valor mínimo da prestação será de R$ 50 e máximo de R$ 160. As contribuições serão destinadas ao ressarcimento do FDS (Fundo de Desenvolvimento Social).

 Comunicação SH/Casa Paulista/CDHU

Foto: JMPereira/CDHU-SP